Chin Shi Huang

Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    S&P bate recorde e fecha acima dos 5 mil pontos pela primeira vez

    Alta foi puxada por crescimento econômico e sinalização do Fed de um eventual corte de juros

    Placa de Wall Street na Bolsa de Valores de Nova York
    Placa de Wall Street na Bolsa de Valores de Nova York 09/03/2020REUTERS/Carlo Allegri

    Nicole GoodkindKrystal Hurda CNN

    em Nova York

    O índice S&P 500 bateu recorde e fechou acima dos 5 mil pontos nesta sexta-feira (9) pela primeira vez, à medida que o sentimento positivo tem se espalhado por Wall Street, com investidores aplaudindo progressos na inflação.

    O recorde acontece em meio a um forte crescimento econômico, com a revolução da inteligência artificial, temporada de balanços melhor que o esperado, além da sinalização do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) para um eventual ciclo de corte nos juros.

    Foram longos 41 anos para o que o S&P 500 atingisse seu primeiro grande marco de 1 mil pontos, em 2 de fevereiro de 1998, explica Howard Silverblatt, analista sênior de índices da S&P Dow Jones Indices.

    O índice havia atingido o marco anterior de 4 mil pontos em 1 de abril de 2021, depois do Fed ter reduzido os juros para quase zero, além da injeção de estímulos na economia e a vacina Covid-19 ter alimentado o otimismo com o crescimento econômico pós-pandemia.

    Em 19 de janeiro, o índice de referência atingiu um novo recorde pela primeira vez em dois anos, superando a máxima anterior de 4.796,56 pontos. O índice atingiu seis novos recordes somente em janeiro.

    Sam Stovall da CFRA Research explica que, após atingir nova máxima em janeiro, o S&P 500 alcançou novos recordes em fevereiro em cerca de 75% das vezes.

    Segundo Stovall, quando novas máximas foram alcançadas em ambos os meses, o índice gerou um retorno médio de cerca de 16% e terminou o ano mais alto em cerca de 88% das vezes.

    O S&P 500 subiu cerca de 5,4% até agora este ano. O índice saltou 24% em 2023, com as ações disparando no final do ano, à medida que o otimismo de que o Fed poderia começar uma “aterrisagem suave” ou conter a inflação sem desencadear uma recessão econômica aumentava.

    Big Techs na liderança

    O avanço para novos recordes tem sido extremamente estreito, e a maioria dos ganhos do S&P 500 provém das chamadas “Sete Magníficas” – Nvidia, Microsoft, Meta Platforms, Amazon, Apple, Alphabet e Tesla.

    As ações da Nvidia, Microsoft, Meta Platforms e Alphabet fecharam em altas históricas várias vezes no mês passado.

    “O ideal é que quando o mercado de ações negocia em alta, muitos setores e ações participem”, disse Scott Wren, do Wells Fargo Investment Institute.

    Os retornos das ações das big techs geraram cerca de 62% do retorno total de 26% do índice de referência no ano passado, de acordo com Silverblatt.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original

    Tópicos

    Tópicos

    Chin Shi Huang Mapa do site