Chin Shi Huang

Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Não é só a Taylor Swift: número de jatos privados para Super Bowl deve bater recorde este ano

    Empresa afirma que mais de 1 mil aviões particulares devem pousar na região Las Vegas este fim de semana

    Taylor Swift em show no México pela "The Eras Tour"
    Taylor Swift em show no México pela "The Eras Tour" Hector Vivas/TAS23/Getty Images para TAS Rights Management

    Chris Isidoreda CNN

    Nova York

    Nenhuma outra viagem para o Super Bowl está chamando mais a atenção do que a da cantora Taylor Swift. Seu plano de ir de um show no sábado à noite em Tóquio para Las Vegas, onde acontece o grande jogo de domingo (11), depende de um jato particular.

    Mas ela não é a única que não está viajando em voos comerciais.

    O Condado de Clark espera que mais de mil jatos particulares voem para um dos quatro aeroportos na região de Las Vegas para o Super Bowl, o que possivelmente deve estabelecer um recorde para esse meio de transporte — mas só para os mais abastados.

    O Super Bowl normalmente é o evento que atrai o maior número de voos em jatos particulares dos Estados Unidos, de acordo com a WingX, que monitora o tráfego de jatos particulares.

    Aqueles que têm meios para gastar muito dinheiro com ingressos e quartos de hotel têm maior probabilidade de pagar um voo em jato particular do que a média de torcedores das tardes de domingo.

    E Las Vegas, com seu fluxo de grandes apostadores, é um importante destino para jatos particulares durante todo o ano. Portanto, não é surpreendente que o primeiro Super Bowl da cidade possa quebrar o recorde de tráfego desse meio de transporte.

    Na edição passada, 920 aviões privados voaram para o grande jogo em Phoenix, de acordo com a WingX. O recorde foi de 984 jatos levando fãs para Miami em 2020, pouco antes da pandemia.

    Os aviões usarão o Aeroporto Internacional Harry Reid, o aeroporto da cidade para voos comerciais, que fica do outro lado da Las Vegas Strip e da Interestadual 15 do Allegiant Stadium, onde o jogo será disputado.

    Eles também usarão três aeroportos de jatos particulares – North Las Vegas e Henderson Executive Airport, cada um a cerca de 18 quilômetros de distância em direções opostas, e Boulder City, a cerca de 40 quilômetros a leste, perto da Represa Hoover.

    Mas mesmo esses quatro aeroportos combinados só têm espaço para estacionar 500 jatos entre o horário de chegada da maioria, de quinta-feira a sábado, e segunda-feira, quando haverá uma correria de saída de aviões, segundo a Administração Federal de Aviação (FAA, na sigla em inglês).

    “Estamos observando uma boa quantidade de operações ‘drop and go’. Isso é comum neste tipo de evento”, disse Joe Rajchel, porta-voz do Departamento de Aviação do Condado de Clark.

    Com isso, os aviões particulares se deslocarão para outra área até que seus passageiros estejam prontos para partir.

    A WingX informou ainda que o Grande Prêmio de Las Vegas em novembro atraiu 927 voos em jatos particulares — a maioria vindo da Califórnia. E a expectativa é ainda maior para essa semana.

    “Estamos prevendo mil ou mais entradas e saídas”, afirmou Rajchel.

    A correria de voos começou na quinta-feira (8), com 263 jatos particulares chegando aos quatro aeroportos, segundo a FlightAware. Isso representa quase 30% de todos os voos do dia, incluindo os comerciais.

    Não se trata apenas de vagas de estacionamento caras. Os “slots” de pouso também estão lotados há meses, nos aeroportos e nas operadoras fixas, que atendem jatos particulares nos aeroportos.

    Mas é difícil imaginar que o jato particular de Taylor Swift terá problemas para conseguir um horário de pouso quando ela chegar no sábado. Supervisionar o processo tem sido um esforço conjunto da FAA e da Liga Nacional de Futebol.

    “A FAA está trabalhando com as autoridades, a comunidade da aviação e a Liga Nacional de Futebol para garantir operações de aeronaves seguras e eficientes para o Super Bowl LVIII”, disse a FAA à CNN.

    Impacto no clima

    Os planos de viagens em jatos particulares de Taylor Swift chamaram a atenção para as implicações desses tipos de voos nas mudanças climáticas.

    As viagens de avião, sejam por meio de grandes jatos comerciais ou pequenos aviões privados, são uma importante fonte de emissões de carbono, responsáveis ​​por cerca de 800 milhões de toneladas de dióxido de carbono anualmente, de acordo com a Agência Internacional de Energia, ou mais de 2% do total de emissões relacionadas à energia globalmente.

    Embora os jatos particulares consumam uma fração do consumo de combustível de um jato comercial, eles queimam cerca de 10 vezes mais por passageiro-quilômetro percorrido, dada a sua capacidade limitada, de acordo com um relatório do Institute for Policy Studies.

    As viagens em jatos particulares nos EUA no ano passado caíram em relação ao recorde estabelecido em 2022, de acordo com a WingX, mas ainda acima dos níveis pré-pandemia.

    “Sem dúvida, a pandemia desencadeou uma demanda muito maior por viagens em jatos executivos, principalmente por razões de saúde (bolha de viagens), bem como pela conveniência de se afastar de áreas fechadas”, disse Richard Koe, diretor-gerente da WingX à CNN.

    “A demanda esfriou em 2023, com alguns dos usuários iniciantes voltando às companhias aéreas. Mas muitos novos usuários continuaram voando de forma privada.”

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original

    Chin Shi Huang Mapa do site