Chin Shi Huang

Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Chin Shi Huang - Furacão Ian atinge categoria 4 e obriga evacuação na Flórida, nos EUA

    Depois de atingir Cuba na terça-feira (27) e deixar um apagão em toda a ilha, Ian mira a vulnerável Costa do Golfo da Flórida

    Nouran Salahiehda CNN

    Ouvir notícia

    O furacão Ian – agora uma tempestade de categoria 4 mais forte e “extremamente perigosa” – começou a atingir a Flórida, nos Estados Unidos, com grandes inundações e ventos perigosos à medida que avança em uma grande faixa da costa Oeste do estado, com potencial em poucas horas para provocar inundações catastróficas.

    “As condições estão se deteriorando rapidamente ao longo da costa Sudoeste da Flórida”, disse o Centro Nacional de Furacões na manhã desta quarta-feira (28), com o centro de Ian a apenas 88 quilômetros da costa. Seus ventos máximos sustentados foram de cerca de 249 km/h – apenas 3 km/h a menos de uma categoria 5, disse o centro às 7h horário local (8h em Brasília).

    A área entre Nápoles e Sarasota enfrenta a maior ameaça de maré de tempestade perigosa, disse o centro de furacões. Mais de 2,5 milhões de pessoas foram aconselhadas a deixar o local, incluindo 1,75 milhão sob ordens de evacuação obrigatórias – não é pouca coisa em um estado com uma grande população idosa, alguns dos quais precisam ser removidos de centros de cuidados de longo prazo.

    Depois de atingir Cuba na terça-feira (27) e deixar um apagão em toda a ilha, Ian está mirando na vulnerável Costa do Golfo da Flórida, onde os moradores estão embarcando e saindo em massa em rodovias congestionadas. Escolas, supermercados, parques temáticos, hospitais e aeroportos anunciaram fechamentos. A marinha deslocou seus navios e a Guarda Costeira fechou os portos.

    Partes do extremo Sul da Flórida já começaram a sentir os primeiros efeitos da tempestade, com ventos com força de tempestade tropical e pelo menos dois possíveis tornados relatados no condado de Broward, inclusive no aeroporto de North Perry, onde aviões e hangares foram danificados. Grandes inundações foram relatadas em Key West devido a tempestades, juntamente com quedas de energia.

    “A hora de evacuar é agora”, disse o diretor da Divisão de Gerenciamento de Emergências da Flórida, Kevin Guthrie, na terça-feira, chamando Ian de “um evento estadual”.

    À medida que os ventos aumentam, as autoridades podem fechar pontes, complicando as evacuações para aqueles que não saem imediatamente. Postos de gasolina também podem ficar temporariamente sem combustível, disse o governador Ron DeSantis.

    Os níveis de água já estavam atingindo cerca de 760 milímetros acima da Mean Higher High Water – o terceiro nível mais alto atrás do furacão Wilma de 2005 e do furacão Irma de 2017, disse o meteorologista da CNN Robert Shackelford.

    Um alerta de furacão está em vigor na costa do Golfo da Flórida, de Chokoloskee ao rio Anclote, incluindo Tampa Bay, e em Dry Tortugas. Um alerta de tempestade está em vigor para áreas costeiras, incluindo a Baía de Tampa.

    Vida na Flórida mudou

    Em Tampa, a polícia foi de porta em porta na terça-feira em uma zona de evacuação obrigatória, garantindo que os moradores estejam prontos para deixar o local.

    Projeções anteriores estimavam que o furacão Ian estava a caminho de atingir diretamente Tampa Bay, que teria sido o primeiro impacto direto em 100 anos. Enquanto o caminho do furacão mudou para o Sul, a prefeita de Tampa, Jane Castor, disse que as evacuações e os preparativos obrigatórios continuam.

    “Não importa onde o fenômeno descer, se chegar um pouco ao Sul de nós, não sairemos ilesos e haverá inundações em toda a área da Baía de Tampa”, disse Jane.

    O governador alertou que haverá inundações “catastróficas” e tempestades com risco de morte na região da Costa do Golfo, com maior risco no Sudoeste da Flórida, de Nápoles a Sarasota.

    Os preparativos em todo o estado estão em andamento há dias, enquanto os moradores se preparam para a ira de Ian. As pessoas faziam fila para pegar sacos de areia ou se aglomeravam nas lojas para estocar suprimentos como água e baterias.

    E à medida que o furacão se aproximava, os fechamentos começaram.

    Em toda a Flórida, 58 distritos escolares anunciaram o fechamento devido a essa tempestade, já que os campi se transformaram em abrigos para aqueles que deixaram suas casas.

    ADisney World está programada para fechar quarta e quinta-feira (29), assim como o Complexo de Visitantes do Kennedy Space Center.

    Centenas de mercearias Publix fecharam suas portas na noite de terça-feira e devem permanecer fechadas até quinta-feira.

    À medida que milhões evacuam, 176 abrigos são abertos em todo o estado e hotéis e Airbnbs ficam disponíveis para pessoas que saem das zonas de evacuação, disse o governador.

    Governos locais e agências estaduais também estão preparando as pessoas que vivem em asilos e outras instalações de cuidados de idosos para evacuar.

    A Flórida tem cerca de 6 milhões de habitantes com mais de 60 anos, de acordo com o Departamento de Assuntos de Idosos do estado – quase 30% de sua população total. A partir de terça-feira, todas as unidades para adultos, cafés comunitários para idosos e serviços de transporte em zonas de evacuação estão fechados, de acordo com o departamento.

    As autoridades também estão preparando os serviços para se espalhar e responder aos pedidos de resgate e depois, após o furacão, para esforços de recuperação e reparo.

    Quase 400 ambulâncias, ônibus e veículos de apoio estavam respondendo às áreas onde o furacão deveria atingir o solo, de acordo com o gabinete do governador.

    DeSantis ativou 5.000 membros da Guarda Nacional da Flórida para as operações de resposta ao Ian, e mais 2.000 guardas do Tennessee, Geórgia e Carolina do Norte também estão sendo ativados para ajudar.

    Autoridades da Flórida também estavam se preparando para ativar as equipes de busca e resgate urbano do estado.

    “Temos cinco equipes estaduais que são ativadas com cinco equipes adicionais da FEMA [Agência Federal de Gestão de Emergências] que estão em jogo”, disse o diretor financeiro da Flórida, Jimmy Patronis, em entrevista à imprensa na noite de terça-feira. “Temos mais de 600 recursos para apoiar além dessas equipes de fora da cidade”.

    Após tocar o solo, Ian se espalhará pela Flórida

    O fortalecimento do furacão Ian está bem definido, com um olho claro, disse o diretor interino do Centro Nacional de Furacões, Jamie Rhome, em uma atualização na noite de terça-feira.

    “Isso não é o que você quer ver no Leste do Golfo do México”, disse Rhome.

    Quando o furacão atingir o solo, espera-se que o aumento da água se mova para o interior do litoral, trazendo inundações com risco de morte para as áreas costeiras.

    Milhões de pessoas estão sob alerta de tempestade, incluindo o rio Suwannee em direção ao Sul para Flamingo, Tampa Bay e Dry Tortugas.

    A área de Longboat Key a Bonita Beach, incluindo Charlotte Harbor, pode ter até 3 metros de maré de tempestade, de acordo com o centro de furacões.

    Os avisos também estão em vigor na costa Leste do estado, desde a linha do condado de Flagler-Volusia até a foz do rio St. Mary’s e ao longo do rio St. Johns.

    Após a descida, espera-se que Ian se espalhe pela parte central do estado, com ventos prejudiciais trazendo a ameaça de tornados até quarta-feira, de acordo com o Serviço Nacional de Meteorologia.

    A lenta agitação “despejará uma enorme quantidade de chuva no estado da Flórida”, disse DeSantis.

    Espera-se que Ian despeje pelo menos de 2 a 3 meses previstos de chuva até sexta-feira. Espera-se que o Centro e o Nordeste da Flórida recebam de 300 a 457 mm de chuva, enquanto as Florida Keys e o Sul da Flórida podem receber de 150 a 203 mm.

    O centro da Flórida deverá ver “inundações repentinas, urbanas e fluviais catastróficas generalizadas”, enquanto a parte Sul do estado deve se preparar para “inundações repentinas, urbanas e fluviais consideráveis”, disse o centro.

    De acordo com as projeções atuais, o furacão seguirá do Sudoeste da Flórida até a parte central do estado e emergirá sobre o Oceano Atlântico no final da quinta-feira, quando poderá se fortalecer novamente e afetar outra parte dos Estados Unidos.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original

    Mais Recentes da CNN

    Chin Shi Huang Mapa do site