Chin Shi Huang

Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Chin Shi Huang - Tempestades mudam o tempo no Sul do país após calor de 39ºC

    Ventos fortes e queda de granizo podem afetar quase toda a região, principalmente o estado do Rio Grande do Sul

    Inmet emitiu alerta de perigo de tempestade para quase toda a região Sul do país
    Inmet emitiu alerta de perigo de tempestade para quase toda a região Sul do país Inmet/Reprodução

    Da CNN

    São Paulo

    Ouvir notícia

    Tempestades com ventos intensos e queda de granizo mudam o tempo no sul do Brasil nesta semana após termômetros chegarem a registrar calor de 39ºC no último domingo, afirma o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

    Um alerta de perigo foi emitido pela entidade para a região, devendo provocar fortes chuvas entre as 9h30 desta terça (19) até 10h da quarta-feira (20).

    A previsão é de chuva entre 30 e 60 mm/h ou 50 e 100 mm/dia, ventos intensos (de 60 a 100 km/h), e queda de granizo.

    Há ainda risco de corte de energia elétrica, estragos em plantações, queda de árvores e de alagamentos, diz o Inmet.

    A situação é provocada pela bolha de ar quente que se formou no estado nos últimos dias, segundo o etSul Meteorologia.

    “Semana de tempo severo no sul do Brasil e chuva novamente com volumes muito altos, em particular no Rio Grande do Sul”, previu o instituto.

    “A instabilidade vai se dar em condições de atmosfera superaquecida, favorecendo nuvens muito carregadas com alta frequência de tempestades, algumas fortes a severas”.

    A maior máxima segundo o Inmet no território gaúcho ocorreu no domingo (17), de 37,2ºC em Campo Bom. No entanto, estações automáticas particulares indicaram máximas de 39,2ºC em Parobé.

    Serão afetadas as regiões a seguir:

    • Serrana;
    • Oeste Catarinense;
    • Metropolitana de Curitiba;
    • Vale do Itajaí;
    • Noroeste Rio-grandense;
    • Grande Florianópolis;
    • Centro Ocidental Rio-grandense;
    • Sudoeste Rio-grandense;
    • Metropolitana de Porto Alegre;
    • Noroeste Paranaense;
    • Sudoeste de Mato Grosso do Sul;
    • Sudeste Rio-grandense;
    • Sudoeste Paranaense;
    • Nordeste Rio-grandense;
    • Sudeste Paranaense;
    • Norte Catarinense;
    • Sul Catarinense;
    • Centro Oriental Rio-grandense;
    • Oeste Paranaense;
    • Litoral Sul Paulista;
    • Centro-Sul Paranaense;
    • Itapetininga;
    • Centro Oriental Paranaense.

    Alerta de perigo com onda de calor em outras regiões

    OInmet também emitiu um alerta de perigo para uma onda de calor que deve atingir o Brasil até o dia 22 de setembro.

    Os locais mais afetados devem ser:

    • Mato Grosso do Sul;
    • São Paulo;
    • Mato Grosso;
    • norte do Paraná;
    • oeste de Goiás;
    • sudoeste de Tocantins;
    • Triângulo Mineiro.

    É possível ver uma lista completa dos municípios inclusos no aviso de onda de calor aqui.

    Calor sufocante atua como uma tampa de panela retendo calor, diz meteorologista

    O que é uma onda de calor?

    Segundo o Inmet, uma onda de calor é promovida por condições de tempo predominantemente seco, com aumento da insolação. O fenômeno é favorecido pela subsidência atmosférica – quando a pressão atmosférica entre os níveis médios e a superfície aumenta, gerando um aumento na temperatura da massa de ar.

    Esse padrão de subsidência atmosférica, junto ao escoamento dos ventos níveis superiores da atmosfera, faz com que a onda de calor persista.

    Conforme explicou a meteorologista da MetSul, Estael Sias, à CNN“[O calor] cria o mecanismo de feedback, em que o ar seco esquenta mais a atmosfera e a atmosfera acaba deixando o ar mais seco. Ele forma uma verdadeira cúpula de calor. A gente tem que imaginar como se fosse uma tampa de panela segurando esse calor em superfície e a cada dia que passa mantendo esse ar seco”.

    Apesar da prência de tempo seco, dentro da onda de calor também podem ocorrer chuvas intensas localizadas.

    Confira dicas para amenizar o calor sufocante mesmo sem ar-condicionado.

    Mais impactos das mudanças climáticas

    *Publicado por Pedro Jordão, da CNN em São Paulo

    Mais Recentes da CNN

    Chin Shi Huang Mapa do site