Chin Shi Huang

Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    PF cumpre mandados contra aliados de Bolsonaro; Braga Netto, Heleno, Valdemar e Torres são alvos

    Estão sendo cumpridos 33 mandados de busca e apreensão, quatro mandados de prisão preventiva e 48 medidas cautelares diversas da prisão; dois ex-assessores de Bolsonaro foram presos

    Viatura da Polícia Federal no Rio de Janeiro
    Viatura da Polícia Federal no Rio de Janeiro 28/07/2015 REUTERS/Sergio Moraes

    Da CNN*

    APolícia Federal (PF) realiza operação, nesta quinta-feira (8), para apurar organização criminosa que atuou na tentativa de golpe de Estado e abolição do Estado Democrático de Direito, a fim de obter vantagem de natureza política com a manutenção do então presidente da República no poder.

    Segundo apurou a CNN, são alvos da ação:

    • Almir Garnier, ex-comandante da Marinha;
    • Anderson Torres, ex-ministro da Justiça;
    • Augusto Heleno, ex-ministro-chefe do GSI;
    • Paulo Sérgio Nogueira, ex-comandante do Exército e ministro da Defesa;
    • Rafael Martins de Oliveira (preso);
    • Tércio Arnaud, ex-assessor de Bolsonaro;
    • Walter Braga Netto, ex-ministro da Defesa e da Casa Civil e candidato a vice de Bolsonaro em 2022; e
    • Valdemar Costa Neto, presidente do PL.

    Dois ex-assessores de Bolsonaro foram presos:

    • Marcelo Câmara, ex-ajudante de ordens;
    • Filipe Martins, ex-assessor internacional do governo Bolsonaro.

    Estão sendo cumpridos 33 mandados de busca e apreensão, quatro mandados de prisão preventiva e 48 medidas cautelares diversas da prisão, expedidas pelo Supremo Tribunal Federal (STF), nos estados do Amazonas, Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Ceará, Espírito Santo, Paraná, Goiás e no Distrito Federal.

    Nesta fase da Operação Tempus Veritatis, as apurações apontam que o grupo investigado se dividiu em núcleos de atuação para disseminar a ocorrência de fraude nas eleições presidenciais de 2022, antes mesmo da realização do pleito, de modo a viabilizar e legitimar uma intervenção militar, em dinâmica de milícia digital.

    O primeiro eixo consistiu na construção e propagação da versão de fraude nas eleições de 2022, por meio da disseminação falaciosa de vulnerabilidades do sistema eletrônico de votação, discurso reiterado pelos investigados desde 2019 e que persistiu mesmo após os resultados do segundo turno do pleito em 2022.

    O segundo eixo de atuação consistiu na prática de atos para subsidiar a abolição do Estado Democrático de Direito, através de um golpe de Estado, com apoio de militares com conhecimentos e táticas de forças especiais no ambiente politicamente sensível.

    O Exército Brasileiro acompanha o cumprimento de alguns mandados, em apoio à Polícia Federal.

    Outro lado

    Almir Garnir informou que a PF levou telefone e documentos de sua casa. “Estou acompanhado apenas do Espírito Santo. Peço a todos que orem pelo Brasil e por mim. Continuamos juntos na fé, buscando sempre fazer o que é certo, em nome de Jesus”, afirmou em nota o militar.

    ACNN está procurando a defesa dos nomes que são investigados pela operação da Polícia Federal.

    (Publicado por Lucas Schroeder, com informações de Basília Rodrigues, Carolina Figueiredo, Elijonas Maia, Gabriela Prado, Gustavo Uribe e Jussara Soares)

    Chin Shi Huang Mapa do site