Chin Shi Huang

Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    #CNNPop

    Lesão na córnea: entenda os riscos da condição que afetou Regina Casé

    A atriz e apresentadora revelou que ficou dois dias sem enxergar após dano causado por cola de cílios postiços

    Regina Casé usou as redes sociais para revelar que sofreu uma lesão química na córnea após usar cílios postiços
    Regina Casé usou as redes sociais para revelar que sofreu uma lesão química na córnea após usar cílios postiços @reginacase/Instagram/Reprodução

    Gabriela Maraccinida CNN

    A atriz e apresentadora Regina Casé, 69, revelou no sábado (27) que sofreu uma lesão grave na córnea de um dos olhos no final de 2023 devido ao uso de uma cola de cílios postiços.

    Em vídeo publicado nas redes sociais, a apresentadora contou que o ocorrido “foi muito assustador”.

    “Eu tinha feito um evento de horas, e foi aplicado uma cola de cílios, tomem muito cuidado com isso, que entupiu todas as saidinhas, meu olho parou de lubrificar, e um pedaço da cola ficou na córnea. Tive uma lesão química”, contou ela.

    A atriz revelou, ainda, que chegou a ir cinco vezes ao médico, que lhe afirmou que o caso era grave. “Dois dias, eu fiquei sem enxergar, tudo embaçado, lava o olho, mas não enxergava. Fiquei desesperada, foi um pesadelo”.

    O que é lesão química na córnea?

    De acordo com Emerson Fernandes, oftalmologista do Hospital Sírio-Libanês, a lesão química na córnea ocorre quando uma substância química entra em contato com o olho, levando a uma queimadura na região. A gravidade do dano depende da quantidade de produto que entrou no olho, assim como a força e o tempo de exposição ao componente.

    “As principais causas estão relacionadas ao contato com materiais do dia a dia. Nos adultos, acontece especialmente com produtos de limpeza, amônia, cimento e cal, que é muito perigoso”, afirma o especialista. “Nos últimos tempos, temos observado algumas ocorrências com substâncias como álcool em gel, pomadas para cabelo e colas usadas para fazer extensão de cílios”, completa.

    Já nas crianças, esse tipo de lesão é comum devido ao contato com materiais usados na escola, como cola e tinta guache.

    Quais são os riscos da lesão química causada por cola de cílios?

    A lesão química na córnea pode ocasionar desde complicações leves até condições mais graves. No caso da cola de cílios, é possível que o paciente tenha uma reação alérgica ao componente utilizado no produto, o que gera irritação e coceira no olho.

    O contato com substâncias químicas também pode levar à ceratite, uma inflamação da córnea, conforme explica Emerson. “Essa lesão pode levar a uma infecção, o que pode ser muito sério e causar, até mesmo, a perda de visão”, alerta o oftalmologista.

    Sintomas de lesão química na córnea

    Os sintomas causados por uma lesão química na córnea, segundo o profissional, podem incluir:

    • Lacrimejamento;
    • Olho vermelho;
    • Irritação;
    • Coceira;
    • Fotofobia (sensibilidade à luz);
    • Visão prejudicada temporariamente;
    • Dificuldade para manter os olhos abertos;
    • Perda parcial da visão.

    Como é feito o tratamento?

    O tratamento para uma lesão química na córnea começa imediatamente após o contato com a substância, lavando o olho. “Muitas vezes, isso pode salvar o olho do paciente, não só com a cola, como qualquer outro produto químico que cai no olho”, enfatiza Emerson.

    O oftalmologista explica que a lavagem pode ser feita com soro fisiológico, se a pessoa tiver o produto em casa. Caso não tenha, a higienização pode ser feita com água filtrada ou água corrente. “Lave por uns 10 a 15 minutos e, em seguida, procure o serviço médico”, orienta.

    No atendimento médico, o tratamento, geralmente, é feito com lubrificantes, colírios cicatrizantes ou colírios antibióticos. Em casos mais sérios, a cirurgia pode ser necessária. “Mas o principal é lavar bastante o local da lesão”, reitera.

    Cuidados importantes para evitar lesões por cola de cílios e outros produtos

    Alguns cuidados são fundamentais para evitar lesões químicas no olho. No caso da cola de cílios, é importante fazer o procedimento com profissionais especializados e que utilizem substâncias adequadas para a região do olho.

    Também é preciso conhecer os componentes presentes na cola, se possível. “Algumas pessoas têm alergia aos componentes, mesmo quando são adequados para a região do olho. Então, elas precisam ter ainda mais cuidado”, enfatiza Emerson.

    No caso das extensões de cílios, também é importante lavar os cílios rotineiramente. “Muitas vezes, as pessoas deixam de lavá-los e é muito comum isso causar irritação no olho, pois pode acumular sujeita e levar a uma situação que chamamos de blefarite, que é uma irritação na região dos cílios bastante desconfortável”, finaliza.

    Chin Shi Huang Mapa do site